5 passos para diminuir crises de asma

Doutor Já Redação

Riscos das crises de asma

Viver com crises de asma requer atenção aos sintomas. Certos tipos de crise podem levar à inflamação dos pulmões, restringindo vias respiratórias e tornando a respiração difícil. Se você não sabe o que desencadeia a inflamação, você pode ter crises frequentes

Enquanto não há uma cura para a asma, há muitas maneiras de administrar os seus sintomas e evitar crises. Aqui estão 5 passos que podem te ajudar

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

Procure tratamento

É importante ver o seu médico regularmente, para que ele indique o tratamento adequado para os sintomas. Marque uma consulta com o seu médico imediatamente se você notar uma mudança nos seus sintomas da asma, por exemplo, tosse, chiado ou problemas para respirar.

O tratamento da asma deve:

  • Administrar cada caso de asma individualmente
  • Reduzir os sintomas
  • Reduzir o número de crises de asma
  • Manter vias aéreas abertas
  • Ajudar a dormir com sintomas reduzidos
  • Permitir que tenha uma vida normal e ativa

Evite estimular a inflamação

Alguns fatores podem desencadear a sua asma e levar a sintomas como tosse e chiado. Esses fatores variam de pessoa a pessoa, então, aprenda o que irrita a sua asma ou encontre maneiras de limitar a sua exposição ou modificar o seu comportamento.

Por exemplo, não é necessário parar de se exercitar se isso causa crise de asma. Ao invés disso, você pode focar em exercícios de baixo impacto que não colocam tanta pressão no corpo.

8 fatores que estimulam a asma:

  • Alérgenos como poeira, mofo, pólen, baratas e pelos de animais
  • Irritantes transportados pelo ar, como fumaça, poluição e fragrâncias
  • Climas extremos, especialmente ar frio
  • Doenças como resfriado e gripe
  • Outras condições de saúde, incluindo apneia do sono ou refluxo ácido
  • Certos medicamentos, incluindo anti-inflamatórios
  • Estresse
  • Exercício

Siga o tratamento

O seu médico deve desenvolver um plano de tratamento com você para gerenciar o seu caso de asma. Escreva o seu plano para você saber como administrar a sua asma diariamente e o que fazer em caso de emergência.

O seu plano de tratamento pode incluir as seguintes informações:

  • A gravidade da sua asma
  • Uma lista das coisas que desencadeiam a sua asma
  • Descrições de sintomas e como gerenciá-los
  • Medicamentos para tomar diariamente a fim de gerenciar a asma
  • Medicamentos para tomar se a sua asma piorar
  • Medicamentos para tomar se você tiver um ataque de asma
  • Se você deve ou não fazer uma medição com o seu medidor de fluxo de pico

Consulte o plano de tratamento regularmente para assegurar que você está administrando a sua asma conforme foi indicado pelo seu médico.

Saiba quais são os seus sintomas

A gravidade da sua asma pode mudar com o tempo. Os seus sintomas podem piorar ou melhorar com a mudança das estações ou devido à exposição a ambientes diferentes. Acompanhar seus sintomas de asma pode ser útil quando você tiver que visitar seu médico.

Mantenha um registro regular:

  • Dos seus sintomas de asma
  • Dos dias e vezes que você sentiu esses sintomas
  • Das exposições aos gatilhos
  • Das leituras do seu medidor de fluxo de pico
  • De outras doenças que você pode ter

Faça consultas de acompanhamento

Você deve fazer consultas com o médico todos os meses ou algumas vezes por ano para avaliar a sua asma. Isso permitirá a alteração do seu plano de tratamento a fim de evitar crises de asma e ajudar a viver com os mínimos sintomas.

Faça uma consulta de acompanhamento imediatamente se:

  • Você usa seu inalador de alívio mais de duas vezes por semana
  • Você tem dúvidas ou preocupações sobre o seu plano de tratamento
  • Você tem sintomas frequentes de asma que atrapalham as atividades diárias
  • Suas leituras de pico de fluxo em casa indicam uma mudança na sua função pulmonar
  • Você tem outra doença que piora a sua asma ou interfere no tratamento
  • Você teve que procurar atendimento médico de emergência devido a um ataque asma

Se a sua asma for bem controlada, o seu médico pode até mesmo recomendar uma redução dos tratamentos que você faz em uma consulta de acompanhamento.

Fonte: Health Line

Não tem Plano de Saúde? Conheça agora o Cartão Doutor Já!

 

F